domingo, 31 de dezembro de 2006

7

O 7, por si só, é um número do qual eu gosto muito...

*


DESEJO-VOS A TODOS UM GRANDE 2007!

^..^

PS.: Imagem retirada de http://postsecret.blogspot.com//.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

terça-feira, 26 de dezembro de 2006

Relembrando 2006 em fotos


A caminho do rio Mondego, preparados para "ir buscare" a canoa.
Moi, sou a criaturinha de colete amarelo, quase no fim da fila.
(Estava em pânico, mas aqui não dá para ver...)
*

Eu e a Maharet a caminho da forca, na Feira Medieval de Óbidos (sou a mais baixinha, e a Maharet está com o seu ar "very medieval"). Note-se o ar do carrasco, a apanhar banhos de sol..."Ah ups, Óbidos? Mas isto não é o Algarve...?"

*


Os Gudurosos num parque de diversões, prestes a chegar a uma queda de água... Eu estou lá à frente, d'azuli! Ao meu lado a Morgaine, a Maharet e a Paulita, lá atrás o Béu, o Badalhoco, o Nemo e a Suri. Mais atrás o Nemo m'á novo e o Profeta! A foto foi tirada pela Duckling ;)

Relembrando 2006

Agora que estamos a chegar ao fim deste grandioso ano que foi 2006, decidi, em algumas linhas, recordar não em voz alta, mas no próprio blog, os momentos marcantes. Das minhas 7 vidas. Durante 2006.
1) Janeiro: Primeiro dia do ano. Almoço de família, num conhecido restaurante em Almeirim. Eu estou com uma ressaca descomunal, e dormi cerca de quatro horas. À mesa, a primeira coisa que digo ao empregado é "- Por favor, traga-me uma água das pedras. "
Resposta do empregado: "Mas daquelas com gás?"
Eu estava ainda meio zonza, mas... daquelas com gás???
Too much for the first day...
2) Fevereiro: Aniversário da minha amiga gógó Maharet.
Em homenagem, vamos todos vestidos de preto.
Para variar, ela aparece de vermelho...
:D
3) Abril: Sexta-Feira Santa, em Braga, na procissão que fazem tradicionalmente para relembrar a crucificação. Ou seja, uma espécie de carnaval católico, já que TODA a gente vai "mascarada" de personagem bíblica (nem que isso implique 5 J.C. e 20 Marias Madalenas...).
Apanhei a segunda maior molha da minha vida: 20 minutos debaixo de chuva.
Ao meu lado, tiritavam três anjinhos e dois judeus, ainda em idade pré-escolar.
4) Julho: Pela primeira vez na minha vida, recebi um telefonema de uma funcionária pública, que nunca me tinha visto na vida, para me dar uma informação que ela não era obrigada a dar, de modo a que eu pudesse tratar de uma série de papeladas antes de ir de férias. Isto depois de eu lhe ter telefonado, e lhe ter implorado uma informação que ela não era obrigada a passar-me.
E não é que ela fez?
Nunca a conheci, mas acho que ela devia ser condecorada!!! Graças a essa mulher voltei a ter esperanças no que se refere a um bom atendimento na função pública (mais concretamente numa secretaria de uma faculdade pública, reconheço... Para quem estudou numa faculdade que eu cá sei, para os lados da Cidade Universitária, é deveras surpreendente...).
5) Agosto: Fiz férias com os meus amigos. Só fomos assaltados duas vezes.
No primeiro dia e no último...
6) A melhor do ano:
Três amigos meus dizem a um tipo numa recepção de uma pousada em Madrid,
"Fomos assaltados..."
Resposta do espanhol:
"Ah, e tal, se isso vos faz sentir melhor, uma amiga minha foi assaltada em Lisboa..."
Eles ficaram extremamente aliviados, como é óbvio.
7) Setembro: Apanhei a primeira maior molha da minha vida.
Eu, os Gudurosos, e Companhia, fomos fazer canoagem para o rio Mondego (percurso de 15 km? Não me lembro...).
Agora as permissas:
a) Eu tenho medo de água. Vulgo, rios e mar (tomo banhinho todos dias, qu'é isso...);
b) Eu ando na natação para perder o medo da água (o que não implica que já o tenha perdido...);
c) Eu sou friorenta;
d) Quinze minutos depois de termos saído, rio abaixo, começou a chover granizo.
e) Choveu (granizo!) e fez vento (gelado!) durante quatro horas.
Nunca tive tanto frio na minha vida.
Sim, já presenciei nevões...
E fiquei traumatizada para o resto das minhas 7 vidinhas...

sábado, 23 de dezembro de 2006

Era inevitável! Fatal com'ó destino!

Meus amigos bloguistas/blogueiros:
Nesta época de muita paz, muito amor, e toneladas de stress, quero-vos dizer que sim, é verdade, gosto muito do natal. E que até agora comi 0 filhozes (ou filhóz? ou filhós? ou filhóx?), faltam-me comprar prendas a menos de 48 horas da hora "H", não comi bolo rei, não pus a coroa de natal à porta, perdi os meus corninhos de rena (levei para uma troca de presentes do amigo secreto, e não sei onde os deixei); não sei onde pus o meu barrete de natal (deve estar a apodrecer numa gaveta algures), não fui ainda comprar nem o bacalhau, nem as couves, nem os camarões, não consigo distinguir algumas prendas que tenho debaixo da árvore, pelo que terei de as abrir, ver o que é, lembrar-me para quem é, e voltar a embrulhar; tenho este fim de semana para acabar dois trabalhos para a faculdade, o meu chefe não me deu dispensa na terça, o que era excelente para conseguir acabar os trabalhos para a faculdade!
E acabei de discutir com uma pessoa que acha que eu me devia vestir como a Merche Romero, ou seja, com pouca roupa. Quem me conhece, sabe que no Inverno, apesar de eu pesar 55 kg, as semelhanças entre mim e o boneco da Michelin são grandes.
Mas apesar de tudo isto, quero-vos desejar, de todo o meu coração felino, boas festas! Que tenham um natal cheio de páscoas, e que não tenham ir, como vou fazer daqui a 10 minutos, enfiar-se no Centro Comercial mais próximo de vocês, mas ficar no quentinho do lar com a famelga, ou num café aconchegante, a beber uma bebida quente com alguns amigos de quem gostamos muito, ou passar a tarde ao lado "daquela" pessoa.
Isso sim, é felicidade!
MERRY MIAU TO YOU ALL!!!

sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Desabafo felino

Tenho-me lembrado de muitos posts para espetar aqui ultimamente, enquanto perco horas no trânsito. Parece que toda a gente tirou férias com o único e exclusivo intuito de andar de carro em Lisboa. Eu até sou bastante apologista dos transportes públicos, mas num país onde quase nada é a horas (abro uma excepção para os transportes fluviais, que salvo ligeiros atrasos de minutos, raramente se atrasam), onde quase tudo sabe a muito pouco, e onde o respeito pelos clientes começa e acaba no momento em que compramos a senha de transporte, apetece-me deixar de ser boa pessoa, e passar a ir todos os dias de pópó para a capital, exigir ao meu chefe que me pague estacionamento, poluir mais um bocadito a atmosfera, e pelo menos, enquanto estou presa no trânsito, dentro do MEU próprio carro, não tenho que levar com a música indiscritível que o jovem ao meu lado está a ouvir, através do seu leitor de mp3, no ponto máximo do volume, durante hora e meia de viagem.
Nestas situações, só me apetece partir para a ignorância.
Ass.: Bxana com muito pouco de espírito natalício...

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Ixtu eh bueh dah fix

Existe uma coisa que me aflige. Várias até, das mais normais (tenho um pânico brutal de aranhas) às mais fantásticas (tenho medo de corvos - o que é legítimo pois já fui atacada por um!). Mas há uma coisa que me aflige, me sufoca e me faz atingir os píncaros da loucura:
Ver um texto escrito com k's, x's e h's fora do sítio.
E se me aflige ver desconhecidos, ou amigos a fazer isto (tenho de agradecer aqui, publicamente, ao meu amigo Nuno, que manda carradas de sms's neste linguajar, mas para mim manda-os exclusivamente em português - obrigadah!), quando vejo pessoas da minha família, sangue do meu sangue, teenagers da minha linhagem a escrever com esse linguajar, não me dá uma, mas três coisinhas más!
Algumas pérolas com que tenho sido confrontada ultimamente (vulgo, nos últimos três anos):
"Livros?? o k e ixo......?" (não só o facto de ser cool dizer isto, já o era há 10 anos atrás, mas a forma como é escrito, of course...)
"Adoru.a" (...virgem maria...)
"Opah...xD Se kixexex ate podias... LOL" (se quê?)
"Nao tenhu nada pa vos dzr... dxkp tive k trocar d msn e agr exte e k e u meu... dxkp pelo imkomodo" (também não tenho mais nada a acrescentar...)
O problema é que quando se começa a escrever assim (é como fumar, ah e tal, os meus amigos também já experimentaram...) não conseguem mais deixar o vício, pelo menos, sem passar por uma ressaca qualquer. É possível, conheço UM caso, de um estudante universitário, um futuro sô dôtor, que escrevia assim... mas está a recuperar desta dislexia auto-imposta!
Aflige-me ver pessoal no 12º ano, nas vésperas de exames nacionais, que não sabem que "incómodo", para além de não ter k's, é com "n". Incomoda-me ver que, depois de meses e meses a fio a escrever assim, toda a gente sabe que se vai tornar impossível, à maior parte deles, distinguir como realmente se escreve a palavra.
Incomoda-me e preocupa-me.
Ou melhor:
Imkomodah-m i preokupah-m.
Porke goxto d ser komo us meuhs amiguhs. Tah?

Isto É possível



No domingo passado (I´m suicide, I´m suicide, help me!!!) fui arrastada, literalmente, pela minha mãe, para o Forum Montijo, no claro intuito de fazer as tão interessantes e pouco stressantes compras de natal "de ocasião", ou seja, aqueles presentes que temos de dar, porque senão tornamo-nos o equivalente a ogres, aos olhos de toda a família. Numa das lojinhas de coisinhas inúteis que visitámos, comprámos aquilo que nos parecia, realmente, menos inútil, e com o nosso ar de pura simpatia dirigimo-nos ao balcão dos embrulhos.
Ora, inevitavelmente, lembrei-me DESTA cena em particular, enquanto aguardei um quarto de hora (não é hiperbole, foram mesmo 15 intermináveis minutos!) que a menina embrulhasse uma única e singela embalagem de 15x18cm. Foram momentos de puro sofrimento, enquanto a rapariga suava em bica (verídico) para colar um normalíssimo papel de embrulho com fita cola(verídico, e depois simplesmente atado, sem sequer ter direito ao laço da praxe (verídico).

Embrulhar prendas de natal é lixado, mas há limites...

Enjoy!
(ao menos que tenha servido para mais tarde recordar...e rir!)
ps.: infelismente, o video não dá para ver aqui - é só questão de fazer um "click!" em cima do dito (salvo seja) e "záz"! - já estão na página do Youtube!

domingo, 17 de dezembro de 2006

A amiga Bxana aconselha...

Homens deste país e arredores:
No caso de encontrarem, casualmente, uma ex-namorada que já não viam há muito tempo, e que até seja uma pessoa algo sarcástica, quando ela vos perguntar "O que fazes por aqui?", nunca lhe respondam:
"- Trabalho ali naquela esquina."

sexta-feira, 15 de dezembro de 2006

Muito obrigada

Querido Pai Natal, duas coisinhas acerca de dois presentes antecipados:
- Obrigada por me estares a proporcionar uma tão boa semana de trabalho. Eu sempre gostei muito de ser uma pessoa activa. Dormir seis horas por noite é o meu ideal de vida.
- Obrigada por teres iluminado a mente da Carolina Salgado, permitindo-lhe escrever aquela sua grandiosa biografia. Graças a ela, pela primeira vez na minha vida, tive a oportunidade de ver o meu pai mais interessado em ler um livro, do que num qualquer outro programa de tv. E atenção, ele tem tvcabo! É impressionante a forma como esta mulher está a revolucionar a indústria livreira do país, bem como os hábitos de leitura dos portugueses. Um grande bem haja a ti, Pai Natal. E um grande bem haja a ti, Carolina!
Ps: Só li/vi alguns excertos do livro, mas adorei a foto do P.C. na piscina com o cão. Temos de admitir, o cão é uma gracinha!
Ps2: Fiquei super deprimida com a história do papagaio...
Ps3: Têm noção de que esta mulher vai provavelmente vender mais livros do que o nosso actual P.R., quando este escreveu a sua própria biografia? Da minha parte, acho de uma ironia fantástica...

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

Como é que um gato vê o Natal?

Sabe que é uma altura em que fica bem ajudar os outros
(o Pai Natal pode estar a ver).
*

Sabe que deve partilhar da alegria inerente ao "espírito natalício".

*

Sabe que deve ajudar a preparar a ceia de natal.

*


Sabe que tem de dizer sempre a verdade

(o Pai Natal pode estar a ver).

*

domingo, 10 de dezembro de 2006

Precisa-se: Concentração


O mundo dá voltas, e voltas, e de facto parece-nos que está sempre tudo na mesma. Por mais que nos forcemos a um novo caminho, há sempre forças superiores (malignas?) que se regem pela perenidade.
Precisamos urgentemente de muita concentração, mas não conseguimos seduzi-la para o nosso lado. Terminamos as coisas, mesmo com essa dificuldade da mente em constante turbilhão, e depois constatamos que está tudo na mesma. E a concentração nunca vem. Já nos conhecemos. Bem demais. Faremos tudo num ápice, em pleno acesso de desespero, arrependidos por ter passado horas que já lá vão a pensar em coisas que em nada contribuiram para que o caminho siga em frente. Porque não podem existir curvas.
E por muito grande que seja a tempestade que temos de enfrentar, depois de terminada a missão (ou iniciada?), sabemos que seguimos em frente, mesmo que a chuva nos tolde a visão, o vento nos cinfunda com mil ruídos, que o frio nos desgaste a pele.
Sabemos a confusão que criamos com o som das gargalhadas nos tempos adversos, que muitos admiram as nossas lutas contra o tempo, que alguns nem suportam o som da nossa voz. Que as nossas ideias nem sempre são politicamente correctas, e que a maior parte das vezes nem sabemos onde fomos buscar a nossa coragem. Que somos, todos os dias, pequenos heróis. Que somos, sempre, grandes heróis.
Que seguimos em frente, muitas vezes sem avisar ninguém.
E que quando dão pela nossa falta, finalmente, já estamos longe.
Pois já seguimos, apesar deste mau, tempo, em frente.
*Perdoem-me o devaneio; em vez de estar a fazer uma recensão sobre um livro de Teoria da Informação, saiem-me coisas destas...
Alguém tem uma recensão já feita que me empreste?

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Once more, pearls...

Nas minhas aulas, que são em horário pós laboral, e teimam em terminar às 22h15/30, confesso - estou 90% com cara de quem foi atropelada por um autocarro. E é habitual estar a dormitar em certas cadeiras. Mas hoje cheguei atrasada e tive de me sentar, relembrando os bons velhos tempos da primária, nas mesas da frente, lugar que pessoas como eu verdadeiramente abominam.
E então o professor dispara esta:
- Sabem daquela do cão que tinhas três patas?
Silêncio. Pelo vistos ninguém sabia daquela do cão que tinha três patas.
- Então, um dia foi fazer xixi, e caiu!
Garagalhada geral, misto de surpresa e "onde é que ele quer chegar com isto?"
E então o meu professor ri-se, e remata, subitamente muito sério:
- Mas perceberam a piada, não perceberam?
Se há coisa que eu gosto são de atestados de estupidez, p'á!
Mas curiosamente, gosto bastante deste professor.
Desde que eu esteja lá bem atrás na sala, claro.

Para vencer o stress do trabalho!

Preciso de desanuviar, e para isso nada melhor que um bom livro de comédia, para me rir um bocado!

Por isso é que amanhã vou comprar o livro do Santana Lopes.

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Captain Nemo


Uma vez disse a alguém que esta era uma das músicas que mais me tinham marcado, desde sempre. Sou fã de grande parte dos temas da Sarah Brightman (inclusive os que ela tantas vezes pede emprestado), e como hoje há por aí algures um peixinho chamado Nemo que faz anos, aqui vai, à laia de homenagem, um dos temas mais fantásticos desta doida, o Captain Nemo, da Sarita!

Muitos parabéns!
Miau miau miau! ;)

Ah, e se prestarem atenção à letra da canção, será que conseguem decifrar ao que ela, de facto, se refere?

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Não é verdade! Ai o catano!

Eis o que acontece quando duas amigas, que até se conhecem!, se encontram num blog de terceiros, e cujo tema, por extraordinário que pareça, é "o riso da bxana" (que não é estranho, é audível)...


Isto é uma cabala.
C'um catano, uma pessoa já não pode dar gargalhadas sonoras...?

domingo, 3 de dezembro de 2006

Ora ora, afinal o Bond até se safa...


Apesar de a minha vida estar actualmente num inferno, visto ter quinhentos relatórios para entregar até ao fim do ano, e nenhum estar pronto, lá fui ver o Casino Royale. Tal como tantos que pensaram como eu, nunca achei que o Daniel Craig desse um bom James Bond.
Enganei-me redondamente! Não me lembro de todos os filmes que já vi da saga até hoje (sim, vi todos) mas este foi, sem dúvida, o que mais me marcou. Aqui, o homem corre, leva tareões, sangra que se desunha, não tem praticamente engenhocas nenhumas, como as que os anteriores bond nos tinham habituado, e às tantas o herói até vai parar ao hospital, depois uma tortura chatinha... E é o 007 mais sarcástico e menos queque de todos os tempos!
Enfim, genial!

Tal como uma das pérolas do filme:
Bartender: Shaken or stirred?
James Bond: Do I look like I give a damn?
E para uma coisinha mais elaborada:

sábado, 2 de dezembro de 2006

Ainda de acordo com o post anterior (o dos feriados)

Ah, feriados...!!!

Adoro um feriado. Um bom feriado. E o facto é que existe muita gente a gostar do mês de Dezembro. Natal? Naaaaaa! Feriados!!! Estamos naquela época do ano em que:
a) Nada tem prazos. Exemplo:
Olhe, eu preciso mesmo de ter esta papelada das finanças resolvida até ao final do ano... não pode? Porquê? Porque na sexta é feriado? Mas hoje é terça! Ah pois...fecham na quinta feira ao 12h? Porquê? Ah, porque sexta é feriado... e na outra sexta? Ah, também é feriado? E na semana seguinte? Ah, é ante - ante - ante véspera de natal... isso quer dizer que vou ter de pagar os juros de falta de pagamento? Sim??? Mas, mas...
b) Subitamente, grande parte das pessoas adoecem, misteriosamente, à quinta-feira, ou segunda-feira...
c) Vamos comprar um casaco novo/tapete novo/candeeiro novo/etc, porque o gato vomitou em cima do antigo, e quando vamos a pagar, a empregada miss simpatia diz-nos: olhe que isso só pode ser trocado até ao dia 26 às 00h!
Ok, minha senhora, muito obrigada pelo favor...
d) Marcar encontros para domingos e feriados, entre amigos, em locais que estejam a menos de 500 metros de uma Zara ou uma Berska torna-se subitamente impossível.
e) Ir a uma loja banal comprar um par de peúgas torna-se impossível.
Voltando aos feriados. Pessoalmente, dão-me um jeitão. Mas - e o significado? Alguém sabe, realmente, o que se celebra? Vejamos:
1 de Dezembro: feriado o qual temos de "produzir" a árvore de natal. E se alguém pergunta "Mas porquê hoje?" o mais provável é ouvir "Porque é dia 1, é tradição!"... mas tradição, desde quando?
Às vezes penso que este é mais o feriado 'bora lá trazer a árvore de natal do que a comemoração em memória das cerca de 40 criaturas que um dia resolveram dar um golpe de estado e mandar o Miguel Vasconcelos pela janela... ah, pois, esqueçam, isso era dantes. Agora o dia 1 de Dezembro é única e exclusivamente o Dia Mundial de Luta Contra a Sida. Ah, e da árvore de natal...
8 de Dezembro: feriado o qual começamos a ouvir as pessoas em desespero à conta das prendas de Natal. Do género "Porra, o computador do Noddy já esgotou", ou "O telemóvel xpto com câmara fotográfica, câmara de filmar, leitor de mp3 e alarme anti-incêndios já está esgotado! E agora, que vou oferecer ao meu irmãozinho de 5 anos???"
23 de Dezembro: não é feriado. Mas sinceramente, digam lá quais são os serviços de atendimento que funcionam bem nos dias 23 e 24 de Dezembro?
25 de Dezembro: dia em que se apanha uma grande dor de barriga. Ou dor de cotovelo, no que toca a certas reuniões de família...
1 de Janeiro: feriado, porque se tem de dormir, depois da tosga de ano novo. Dia Mundial da Paz? Mas quem é que medita sobre a paz, de ressaca? Muito mal escolhido este dia da paz...
Agora, com licença, que vou fazer a minha lista de natal. Vou pedir o tal telemóvel, porque aquilo do alarme de incêndios dá um jeitão...

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

A diferença está nas metáforas!

Toda a gente sabe (é verdade verdadinha) que há pessoas cuja formação/profissão influenciam em muito o modo de viver e ver as coisas. Ou talvez o contrário... Digo-vos isto, com base no episódio que vou narrar a seguir.
Manhã. Dia de semana. Chego ao escritório. Vão chegando os meus colegas.
Colega n.º 1: - Olá Bxana! Mudou de visual???
Bxana: - Nã..ão... Fiz um tratamento, por causa dos caracóis... agora andam assim um bocadito no ar...
Colega n.º 2: - Bom dia! A Bxana mudou de visual!
Bxana: - Bem, não... fiz foi um tratamento, o cabelo estava a cair muito, os caracóis a ficarem uma desgraça... agora estão assim com um bocadito de volume, pois...
Colega n.º 3: - Bom dia Bxana! Ena, mudou o lay-out?
Adivinhem a profissão deste último...

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Nem o Coro de Santo Amaro de Oeiras...

Andaram a "chatear-me" com esta música desde segunda-feira.. acabei por me render: eis uma das mais belas canções de natal de sempre. E vivam os Gatos!:)

Embaraçoso, embaraçoso...é?

Embaraçoso é estar numa reunião com gente que mal conheço, e às tantas o meu telemóvel começar a tocar a música do Harry Potter.

terça-feira, 28 de novembro de 2006

Billy Mack - Christmas Is All Around

Está a chegar o Natal e andava já há alguns dias a pensar numa música para pôr aqui no blog, absolutamente natalícia.

Não resisti e tive de pôr este video. Porquê? Porque o "Love Actually" é um dos meus filmes preferidos, porque adoro o "Billy Mack", e porque este clip é um disparate pegado do início ao fim - das mães natais stripers, ao brutal ar de rebarbado do Billy. O resultado só poderia ser fantástico.

Melhor que isto só a imortal cena: "Heya kids. Don't buy drugs. Become a pop star and theyll give you them for free!!"

Isto acontece-me vezes sem conta

Emenda - não confundir com "ementa"

Faço parte de um blog comunitário - do qual não posso divulgar o nome, sob pena de ser apedrejada por um dos seus 16 membros (?) - e onde ocasionalmente dirigimos os nossos devaneios uns aos outros.
Recentemente, esta menina, que também faz parte desse mesmo blog, fez uma descrição muito pessoal dos seus amigos, e, segundo ela, eu sou assim:
Bxana: a do Montijo, que costuma aparecer para as festas e feiras medievais, a que tem o riso estranho.
Vamos lá a ver uma coisa. Eu não tenho um riso estranho. Eu tenho um riso alto. Não é uma questão de bizarria (hum... será?), mas de decibéis!
Sua patinha marota.
:)

domingo, 26 de novembro de 2006

Natal

Música
Prendas
FESTAS
Reuniões de família
Reuniões de amigos
FESTAS
Luzes
Doces
Dores de estômago
FESTAS
Castanhas assadas
Tosgas
FESTAS
Férias (querias não é...)
Dobro do trabalho
Estudos para entregar na faculdade
Toneladas de inutilidades para comprar a resmas de gente
FESTAS
Consoada
Celebração de um Nascimento (quase ninguém se lembra desta...)
FESTAS
Bacalhau
Couves
Perú
Tronco de Natal
FESTAS


Resumindo e concluíndo:
Estamos quase em Dezembro.

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Cultura, acunpultura... é tudo uma questão de picadas!

Hoje visitei o blog da Minerva, e "dou de olhos" com este post. Confesso que andava alheia das notícias nacionais... Mas há coisas que se repetem, e por mais que falemos, não há hipótese. Continuam.

Eu desde que me lembro de ser gente que sinto os cortes orçamentais na Cultura, por parte do governo. Com tanto corte, chego a pensar se já terá havido alguma vez uma época áurea, onde milhões e milhões se davam para gerir a área cultural (?) do nosso país - e possivelmente foi desde aí que se vieram a realizar os cortes sucessivos, pondo a milhas uma série de hipóteses a nível de formação e identificação do cidadão português enquanto tal. E da formação da própria identidade cultural do indivíduo, de uma forma geral.

Depois de tanto se falar de um TGV que ninguém quer para nada, de uma Ota que a maior parte das pessoas nem sabe onde fica, de uma Casa da Música, onde se esquecem de construir fosso de orquestra (d'uhhhh!), vêm a lume agora os cortes (machadadas) ao nível das Universidades, mais concretamente das unidades de investigação, e ao nível de uma das coisas mais porreiras que, a meu ver, o CCB dispunha: o Festival da Música. Pelo que entendi, Mega Ferreira nem teve grande hipótese, pois escolhas, não lhe foram dadas muitas. E já se veio inclusive falar de um outro fim-de-semana qualquer dedicado à música, mas "mais baratinho", seja lá o que isso significar. Segundo a nossa Isabelita Pires de Lima: - a programação que nós temos para o próximo ano é muitíssimo melhor do que aquela que tivemos para 2006.

Se assim for, c'o catano, já deviam era ter feito os cortes há mais tempo! Ai é para melhorar? Venham eles!!!

Aliás, há uns anos uma amiga minha, que trabalha num museu de Lisboa - no qual não tinham/têm/terão dinheiro sequer para comprar fitinhas ou plasticinas para os trabalhos temáticos oferecidos às crianças no âmbito do dia dos museus - teve de andar, juntamente com as colegas, a angueriar pelos cafés da zona copos de plásticos de forma a inventar uma série de brincadeiras para os miúdos, e claro, para o museu fazer boa figura. E sabem que mais? Foi um sucesso! Porquê? Porque os cortes orçamentais levam as pessoas que trabalham e gostam da área da cultura a fazer das tripas coração para proporcionar aos utilizadores dos espaços nem que sejam 30 minutos de bem estar. Recompensas? Ah, pois, imaginam, né...?

A não ser que a ligação Lisboa - Badajoz por TGV seja uma forma subtil de recompensa. Não sei.

segunda-feira, 20 de novembro de 2006

Os Reinos do Norte já estiveram mais longe


Foram recentemente divulgada as primeiras fotos oficiais das filmagens do His Dark Materials: The Golden Compass - em Portugal traduzido por Mundos Paralelos: Os Reinos do Norte - de Philip Pullman. Nem a heroína (Dakota Blue Richards) nem a vilã (Nicole Kidman) eram muito bem aquilo que eu imaginava da Lyra/Mrs. Coulter. Mas tenho que reconhecer que as escolhas, a avaliar pela foto, fazem justiça ao livro.
De qualquer maneira, também o trauma de ver o Elijah Wood a fazer de Frodo - nada a ver com o que eu tinha imaginado ao ler o livro - acabou por ser superado pela qualidade esmagadora do filme.
E para quem esteja curioso, ou nunca tenha ouvido falar dessa maravilha da literatura que é a triologia His Dark Materials:

Isto há dias...


Completamente.

domingo, 19 de novembro de 2006

Conheço pessoas assim...


E aposto que vocês também!
É que eles andam aí...

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Chegou o fim de semana...

E para alegrar, deixo-vos um dos melhores temas sobre a exclusão social criado nos últimos anos - o "Drogado", desses arautos da música que são os Irmãos Catita.

Andava para fazer este post há milénios.

Have a nice weekend!

Esse mistério que são os genes!

O meu pai passou-me os genes da "surrealidade". Só pode.

Digo isto não só pelas coisas brilhantes que diz (é frequente ouvi-lo a chamar "seu trooool" aos condutores azelhas em Lisboa) mas pelas coisas fantásticas que lhe acontecem.

É que ele ontem pegou fogo, acidentalmente, à própria barba!
Resultado - ficou com uma barbicha à Abel Xavier (palavras do meu pai).

Não tinha conhecimento de nada tão estranho desde a noite em que quase peguei fogo à casa da Suri, à conta de um fondue.

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Mais outra

Ainda na linha das brilhantes ideias que nós, os Borguistas, (saudoso grupo de veneração ao disparate, nos idos tempos de faculdade) tinhamos - segue-se a história do tacho.

Um dos elementos deste grupo, a dada altura, mete-se na política, e torna-se presidente de uma juventude partidária, à qual não me vou referir, mas que pode ter tons de, quiçá, rosa. Ora eu, e de novo, esta maluca (sim tu!!!) tivemos uma outra ideia brilhante (e por acaso, até foi no Natal seguinte ao dos Bombons do Mozart). No dia da troca de prendas, esse nosso amigo "jovem promessa política", todo contentinho da vida, pega na sua prenda, e desembrulha... um tacho!

Do outro lado da mesa, eu e a Duckling continuavamos a rir que nem loucas...

Borguista "Jovem Promessa Política": - O que é suposto ser isto?

Borguistas Bxana e Duckling: - D'uh! Político que é político precisa de tacho!


Nota:
Apesar de tudo, ainda guardámos boas amizades dos tempos de faculdade :)

Upclose and Personal

No fundo, no fundo, sou uma miau muito tímida, que ao cair da noite refugia-se a um canto, enquanto que lê pela milionésima vez o Folhas Caídas.

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Memori-i-i-es...

Ontem, a propósito de uma conversa que tive com um amigo meu, sobre como deve ser fabuloso visitar Viena de Austria na época natalícia, lembrei-me de uma história, daquelas que vou contar aos netos.
Como não tenho netos, vou contar aqui no blog.
Há alguns anos, um antigo namorado meu foi visitar Viena, precisamente na altura do Natal. Quando voltou, trouxe-me uma caixa de bombons, que provavelmente alguns de vocês já viram nas casas de doces, os chamados "Bombons do Mozart", porque trazem na caixa a cara do fulano, e normalmente as ditas caixas até têm a forma de violino. Ora ele chegou, ofereceu-me a caixa, e orgulhoso, remata com a frase "Olha que destes bombons, só os há em Viena!". Fiquei super agradecida, adorei a prenda, sou altamente gulosa, e os ditos chocolates eram mesmo bons.
Na semana seguinte, vou eu a passar na Rua Augusta, com esta maluca, e, numa loja de doces que há por lá, vemos a montra recheada... de caixas dos "Bombons do Mozart"! Resmas! Paletes! Não podemos deixar de rir - nem nos contivemos. Decidimos na hora comprar uma caixa daquelas, desembolsamos ainda uns euros consideráveis, porque os bombons eram caros como o catano, para os oferecer precisamente ao meu namorado, no dia da troca de prendas que costumavamos fazer entre o nosso grupo de amigos. Não contentes, antes de embrulharmos a caixa, ainda espetámos um bilhete a dizer "Toma lá destes, que só há em Viena!".
No dia da troca de prendas, eu e ela esperámos ansiosamente pelo momento em que ele desembrulhou a caixa, e quando se apercebeu do que era, deu para perceber que a expressão "g'anda melão" era a perfeita... enquanto que eu e a minha amiga choravamos a rir desalmadamente.
É possível que a partir daí tenhamos feito um novo inimigo :)

terça-feira, 14 de novembro de 2006

Non-sense

Hoje de manhã fiz um esforço descomunal para me dirigir para o trabalho, tão grande era a camada de sono que tinha.
Como fui de boleia para Lisboa,tive tipo três minutos de conversa com o condutor, e cai num sono profundo. Lá acordei meio segundo antes de chegarmos, ponho o meu melhor sorriso, entro no edifício onde trabalho, e digo um, bem alto, "Bom dia!"
Responde-me o porteiro: "Ah Sr.ª D.ª Bxana, está doente?"
Bxana: "Como?"
Porteiro: "É que está com um péssimo aspecto!"
.
.
.
Mas porque é que eu dou confiança às pessoas, ao ponto de terem à vontade para me dizerem estas coisas? Porquê? Porquê? Porquê?

segunda-feira, 13 de novembro de 2006

Gotta Love Christmas


PS.: Não se iludam, eu amo o Natal!

E agora, algo de diferente!

As situações "Hei! What is this?" não podiam, claro, faltar.
Seleccionei quatro, com as quais tropecei, a caminho da Feira da Golegã.

Alguém me pode explicar a associação de ideias inerente a esta sinalização?
Especialmente a parte do recorde???



Numa outra terra qualquer seria "vende-se casa c/ garagem". Mas aqui, de outra forma, nem faria sentido...

Digo-vos: - Sim, é verdade! Estava lá o Zidane!

E claro, a referência ao Portugal No Seu Melhor não podia faltar, num qualquer mercado perto de si!!!

Nice Horses!

Já devem ter reparado que até sou uma pessoa quem nem gosto muito de comunicar, que adoro estar enfiada em casa (especialmente ao fim de semana) e sobretudo, que não tenho nada a mania de andar de máquina fotográfica a tiracolo.

... ... ... ... ... ... ...
Também já devem ter reparado que estou a mentir com todos os dentes que tenho.

A verdade é que, assim que tive oportunidade, fui logo meter o nariz na Feira da Golegã, para ver uma das mais belas criações da natureza: o cavalo. Não desfazendo das outras criaturas (escusado será dizer : por estas bandas, CATS FIRST!), tenho uma paixão incrível por cavalos. Por isso, foi ver-me a correr as ruas todas, ou atulhada de lama no recinto do desfile, a olhar embasbacada para estes "bichinhos". Fiquem com alguns registos...
(hoje vou abusar das fotos, mas prometo que é a título excepcional...)
Começando logo pelas ruas, é fácil encontrar dezenas de referências ao mundo equestre. Para mim, algumas das mais fantásticas são estes "apliques" e as placas de sinalização, espalhadas pela vila:


Depois, foi ver o desfile, verdadeira "passerele" para as vaidosas estrelas - e estou a referir-me tanto aos cavalos, como aos/às cavaleiros/as :)


Finalmente, a exposição das "estrelas" de competição - independentemente se ganharam 1 ou 20 prémios, isso não interessa nada, são todos lindos, e pronto!



Nota: a mim, aflige-me sempre ver qualquer animal enjaulado ou amarrado, mas garanto-vos, estavam todos muito bem tratadinhos, e sempre rodeados das maiores atenções. Nem que fossem minhas...

" - Ohhhhhhhhhhhh, que giiiiiiiiiiiiro...!"

Vide: http://www.horsefairlusitano.org/portugues/port.htm

sábado, 11 de novembro de 2006

As melhores fotos que tirei na Feira de Chocolate de Óbidos


Pois, não são feitos de chocolate, é um facto...

Existe uma terceira foto, de uma pessoa a comer uma maçã de chocolate, com uma dentada só, mas posso ser processada se a colocar aqui, por questões de direito de imagem... :)

Admito...:)

Quem me conhece, sabe que tenho uma certa tendência para fazer comentários a basicamente tudo o que se passa ao meu redor. É mais forte que eu - não se trata simplesmente uma tendência para criar boa disposição por si só - mas claro que gosto de ver pessoas felizes ao pé de mim.
Isto vem na confluência de uma conversa que tive hoje com um amigo meu, em especial à referência " - Tens opinião sobre tudo". Confesso que opino sobre muita coisa, mas como já vos disse antes, as situações surreais vêm ter comigo, é quase fatídico.... E acho que sim, admito que é verdade, que tenho sempre, sempre, sempre de falar (pronto, tens razão :)
Entretanto, prometi que hoje já não fazia mais nenhum comentário sarcástico, mas este tenho de pôr, porque marcou-me:
Numa feira de chocolate, algures num castelo português:
Senhora com ar de tia, numa lojinha de chocolates, pega numa saqueta que diz "bombons" e pergunta, à funcionária:
"- Isto são rebuçados? "
Claro, eu estava mesmo ao lado.
Sim, contive-me, mas passaram-me mil e uma coisas pela cabeça para dar como resposta...
"Não, minha senhora, isso é haxixe!"
"Não minha senhora, ainda não reparou que isto é a feira da Golegã? Isso são póneis!"
"Sim, minha senhora! Não me diga que estava à espera de encontrar aqui chocolates?"

quinta-feira, 9 de novembro de 2006

Bloody peasants!

Com os Monty Python é assim: ou se ama, ou se odeia.

Eu adoro os Monty Python, em particular o "Search For The Holy Grail" (mas não colocando de parte o excelente "Life of Brian").

E para mim, esta é, a par da cena do Cavaleiro Negro, e da Passagem da Ponte, uma das três melhores cenas do filme!

(Tive um dia cansativo... precisava de me rir... :)

Let's look at the trailler

Porventura, vocês conhecem aquele famoso filme O Dragão Contra-Ataca?

Aquele, onde um jovem chinês, nascido numa propriedade de cultivo de arroz, de nome Bruce Lee, descobre que está nas suas mãos o destino da Galáxia, e da China também!

No seu caminho para a missão, descobre que é filho do tenebroso Darth Vader, que planeia o controlo da Galáxia, e da Máfia Chinesa também!

Bruce só tem uma solução: usar as suas artes marciais, ou seja , a Força (porrada: subentenda-se), de forma a salvar o mundo, arredores, e a Ásia também!

Não percam. Criação exclusiva de uma pessoa cujo nome vou manter em anonimato, mas que poderá eventualmente ser da minha família. Ah, a voz do sangue...
(isto a propósito de uma frase que ouvi ontem: "- Ena, parece saida daquele filme...O Dragão Contra-Ataca!...)

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Nova pérola!

Eu não as procuro... estas maravilhosas frases vêm fatidicamente ao encontro dos meus ouvidos!

A de hoje é:

Antes de meter o cd com o programa no computador, convém fazer uma cópia.


...


Ou seja, está a dizer para tiramos fotocópias do cd, não?

terça-feira, 7 de novembro de 2006

Nerdices...

Na saída de uma aula, comento com as minhas colegas:

O professor até é um querido, mas tem um ar de nerd brutal!

Nisto, o dito professor passa mesmo ao nosso lado.

Lado bom da situação:
Ele só nos viu de relance - não teve oportunidade de ver a nossa cara, muito menos daquela (eu, omg...) que tinha mandado a boca. Quanto mais, só reparou nos penteados.

Lado mau da situação:
Eu sou a única ruiva da turma.

domingo, 5 de novembro de 2006

A Margem Sul: esse animal!

Desde que entrei para a Universidade de Lisboa, há uns aninhos, que me apercebi que a expressão "sou da margem sul" fazia com que as pessoas tivessem as mais variadas reacções, por vezes roçando o rocambolesco. E sempre evidenciado uma expressão de surpresa, acompanhada por uma resposta do tipo "A sério? Não fazia ideia...". É claro que não fazia ideia, a) eu ainda não tinha dito, b) não tenho a minha morada tatuada na testa. Mas a verdade é que, depois de anos e anos e anos a levar com um "xiiiii, és da margem sul! Droga, roubos, cizentismo, e isso é muuuuuito longe", na semana passada aconteceu-me o seguinte:
Estava numa festa em Lisboa, com um grupo de amigos, e um deles (que desconhecia onde eu morava), furioso com uma atitude de uma terceira pessoa, diz-me as seguintes palavras mágicas: "Que gentinha mal educada! Não têm maneiras nenhumas! Parece que são da margem sul...". Escusado será dizer que para além de ter ficado furiosa, só me apeteceu arrancar-lhe o cabelo à chapada. Mas qual é a ideia? Que raio de patranhas andaram a meter nas cabecinhas desta gente? Que série de mitos urbanos andam para aqui? Senão, vejamos:
Mito n.º 1 - 99,9% da população da margem sul são comunistas.
Não é verdade, meus caros. Lamento, mas isto não é Cuba. E há mais partidos de esquerda, o Bloco, e o PS (ahahahahah, ok, ok...). Para além disso, o PSD, e o PP (ahahahahahahah, o PP, ahahahahahahah!) também têm direito à sua percentagem! Que deve rondar os 15%/20%.
E sabem que mais? Independentemente dos partidos, admito que até sou de esquerda, mas conheço muita gente que não o é, e abomina completamente a definição margem sul = esquerda. Sim, eles existem...
Mito n.º 2 - As pessoas da margem sul comem criancinhas.
O leitão à bairrada é considerado uma criancinha?
Mito n.º 3 - Na margem sul, as pessoas têm de ir para casa até às 21h, porque a partir dessa hora saltam para a rua gangs, grupos organizados de tráfico de orgãos, misturas de vândalos com vikings, e possivelmente, entre eles, um grupo de zombies.
Meus caros, na zona onde moro, a partir das 21h o que podem ver na rua, eventualmente, são pitas doidas a correr de bar em bar com mini saias pelo umbigo. De certa forma, perante este cenário, reconheço que até Chelas deve ser mais agradável.
Mito n.º 4 - O pessoal da margem sul tem a 4ª classe.
É óbvio que sim! Se não tivesse a 4ª classe não estava a tirar mestrado, pois não?
Mito n.º 5 - A educação das pessoas da margem sul está ao nível da educação do Alberto João Jardim.
Errado. As pessoas da margem sul têm uma educação normal como em qualquer família portuguesa. Ou seja, são tão bem ou mal educados como toda a população em geral! E devo salientar: Alberto João Jardim não faz parte da população portuguesa, em meu entender...
Mito n.º 6 - A margem sul é um local de cizentismo.
E Lisboa, não?
Mito n.º7 - Margem sul = campo e saloiada.
Lamento, mas a lezíria ainda fica longe. De qualquer forma, a minha família até é de Palmela, muitos viveram e vivem parcialmente da agricultura. Particularidade da qual eu sinto bastante orgulho, porque tive a oportunidade de crescer sem acreditar que os frangos vêm do supermercado, já depenados e sem cabeça.
Resumindo e concluindo: esse meu amigo pediu-me imensas desculpas, blá blá blá, mas a verdade é esta: Por favor - façam um tour pela zona, atravessem a Vasco da Gama, visitem Alcochete, Samouco, Montijo, Moita, vão até Palmela, visitem a Arrábida, passem por Azeitão, e comam uma tortinha. Façam turismo. Visitem os locais. Até tenho aqui um link no blog da Costa Azul - usem-no. E depois tirem as conclusões inerentes ao que viram.
Obrigada.

Memórias Fotográficas

Estava de passagem... e estava um belo dia.




Oh, que se lixe!

A verdade é a seguinte: Para além de ter problemas do trabalho para resolver, tenho ainda trabalhos de mestrado para alinhavar. E ainda tenho que meditar sobre os problemas existenciais da minha tese. Tenho estado em mudanças e faltam-me ainda peças de mobília para comprar. E preciso de dormir, porque o meu pobre organismo (snif...) passou de 8 para 6 horas diárias de sono.

- Mas passei a tarde toda de sábado a ler um livro; e não estou a falar de livros técnicos. Estou a falar de um romance daqueles bem lamechas!

E sabem que mais? Que se lixe, soube-me super bem mandar os trabalhos às urtigas!:)


Os stresses que fiquem para segunda, who cares...

sábado, 4 de novembro de 2006

Eu vou morar para aqui!


Está decidido, vou morar para o Multibanco.




*A propósito de um mail enviado por este maluko. Thanks ;)

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

Há qualquer coisa aqui que não bate certo...

Numa caixa de supermercado, no dia 2 de Novembro:

Menina da caixa:
"E então, como foi o seu feriado?"

Senhora que estava de conversa com a menina da caixa:
"Foi bom. Passei-o no cemitério."


...


...



(Eu sei que é tradição... mas o "foi bom" não seria... dispensável?)

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Mais uma pérola

Registado no último domingo à tarde:

"- O 7 é o número mais bonito do alfabeto."

Como meter água em cinco minutos sem esforço!

Imaginem a seguinte situação, que poderá, eventualmente, ser verídica.
Dois amigos vão a caminho de uma festa, à noite. Vão conversando, e entretanto passam ao lado da discoteca Lux.
Pessoa X - Olha, o Lux hoje também deve ficar à pinha...
Pessoa Y - Sim, agora ainda é cedo, mas mais logo...
Pessoa X - Acho que nunca fui ao Lux... Pois, não, nunca fui!
Pessoa Y - Não? Então e a festa xpto que fizemos, no dia wyxz?
Pessoa X - Não fui. O meu pai fazia anos nesse dia! Vocês marcaram logo a festa precisamente numa data que era impossivel para mim.
Pessoa Y - Ah, não pensei que não pudesses ir...
Pessoa X - Não? Tipo, o que é que eu dizia ao meu pai? "Olha, quero lá saber que seja a noite do teu aniversário, e que possivelmente queiras ir jantar comigo! Vou mas é abanar o capacete para o Lux!" Era muito mau ir para uma festa na noite do aniversário do próprio pai, não era?
Pessoa Y - (...)
Pessoa X - O que foi? Disse alguma coisa de especial?
Pessoa Y - (...) Não, nada... Olha, sabes quem faz anos hoje?
Pessoa X - Não?
Pessoa Y - O meu pai...
Pessoa X - [Nota mental: Ups...]
*Soube, por portas e travessas, que é possível que a Pessoa X se sinta arrependida por ter metido litros de água, como se viu entretanto, e que queira pedir as suas mais sinceras desculpas à Pessoa Y.
Se este for um caso verídico, claro...

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Eu às vezes sinto-me assim…

O cérebro é um órgão maravilhoso.
Começa a trabalhar logo que acordamos e só pára quando chegamos ao serviço. *


*Entre estas coisas, pode haver 3 horas de intervalo.
Especialmente se se trabalhar em Lisboa, num dia a ameaçar chuva, e com greve no metro.


Vem cá, bxaninho!

Qual é a probabilidade de, em três terrinhas diferentes visitadas ao longo de mesmo dia, a primeira coisa que vejo mal saio do carro é... um gato?

Abençoado Alentejo!

São Cristóvão


Montemor-o-Novo


Évoramonte

terça-feira, 31 de outubro de 2006

sábado, 28 de outubro de 2006

Pensamentos Altamente Complexos - Hoje: Harry Potter!

Eu tenho uma teoria. Várias, mas esta é uma delas.

- Que a J. K. Rowling nunca teria escrito o Harry Potter se não tivesse vivido em Portugal.

E eis os argumentos:

1) O feitiço virou-se contra o feiticeiro.
Provérbio tipicamente português, o qual encerra toda a génese da história do Harryzito.

2) O mau da fita chama-se Salazar Slitherin.
Ora bem, esta é inegável, porque remete directamente a Oliveira Salazar, e quanto à história dos "puro sangue", ninguém me tira da cabeça que Salazar Slitherin tem uma sonoridade que faz lembrar quase instantaneamente Santana Lopes.

3) O miúdo estuda num castelo super antigo.
Uma clara metáfora ao actual estado das escolas portuguesas.

4) Existem fantasmas a rondar pelo castelo.
Clara referência ao Sebastianismo e aos fantasmas que rondam Portugal.

5) O destino do rapaz assenta numa profecia.
O destino de Portugal assenta numa oligarquia.

6) O símbolo dos Gryffindor é um leão, mas a cor é vermelha.
J. K. Rowling viveu onde? No Porto... claro que não sabia distinguir o Sporting do Benfica!

7) Em Hogwarts, ninguém sabe o que é um computador.
Mais de metade da população portuguesa também não.

8) Havia uma cobra gigante enfiada na escola, cujo nome agora não me lembro...
Em Portugal há uma cobra gigante enfiada nas escolas, chama-se ministra da educação.

9) As eleiçõs para altos cargos no Ministério da Magia são muito dúbias.
As eleições para altos cargos em Portugal muito dúbias são.

10) Existem umas figuras sombrias chamadas Dementors, que eloquecem temporariamente as pessoas.
J. K. Rowling conheceu militantes do PP.

Podia eventualmente colocar mais argumentos, mas fiquem de meditar e descobrir mais umas quantas alíneas... de certeza que as há!

sexta-feira, 27 de outubro de 2006

Ladies and Gentleman...!

E a frase do dia é:

Boa tarde, peço desculpa, mas vocês aqui intrometem o Euromilhões?


*em minha defesa: eu estava num clima de muito stress...a culpa é do stress... e somente do stress.

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Betty e a UNESCO

A questão é que tropecei nisto quando estava a folhear uma revista - essa grande instituição que é a Nova Gente -, e não pude deixar de partilhar com vocês. Trata-se de uma crítica social, que infelismente não vem assinada, o que convém à pessoa que escreveu, of course...

«A minha querida Betty Grafstein foi interrogada numa festa sobre a sua idade e respondeu: "Eu sou intemporal"...
...Intemporal como as Pirâmides do Egipto e a múmia do Tutankamon

Como diria o meu professor de egiptologia: São três - três! - mil anos de história!!
É obra!!!

terça-feira, 24 de outubro de 2006

Mais uma reflexão inútil para a Humanidade (não consigo parar de fazê-las! Help!)

Hoje, no autocarro, ouvi uma coisa que me deixou a pensar. Era uma conversa entre um grupo de senhoras, muito animadas, e uma diz, às tantas:

"E então, depois, ela exaltou-se toda."

Fiquei a meditar. Mas... é possivel ficar só tipo, 1/4 exaltada? Ou metade exaltada? Exaltada só em partes; esquerda/direita/cima/baixo?

"E então, depois, ela exaltou-se mas só no braço esquerdo."
"E então, depois, ela exaltou-se mas só na cabeça."
"E então, depois, ela exaltou-se mas apenas da barriga para cima."

Concluíndo: esta reflexão poderia nunca ter ocorrido se eu não tivesse presa no trânsito sem nada de útil para fazer.
Mas não me exaltei nem um bocadinho... :)

segunda-feira, 23 de outubro de 2006

As 20 mil léguas submarinas

Acho que as pessoas que não vivem para os lados do Montijo não entendem a verdadeira amplitude da expressão "- Não posso ir porque há cheias na cidade."

"- Outra vez?"
"- Pois..."
Este fim de semana tive a ideia genial de ir a Lisboa, numa tarde de chuva. Mais precisamente ao Vasco da Gama. Para acabar em beleza, achei que devia de ir de autocarro. Resultado: as aulas de natação deram-me um jeitão. Não tinha noção de que os autocarros da TST eram anfíbios, porque por momentos, depois de ter dado umas boas braçadas em plena baixa (ok, pouco faltou!), e uma vez dentro do autocarro, pensei por momentos que estava a bordo de um iate cizento. Porque 50% da cidade estava, literalmente, debaixo de água. Incluindo a estação dos autocarros. Do género:
"- Deixa cá dar um mergulho para ver se acho a paragem do 435!"
Ou seja, fui a uma sessão de cinema no Vasco, à qual assisti descalça, depois de ter andado pelos corredores a fazer o "schlop scholp" irritante dos sapatos-bóia, a rezar para que as duas horas de filme fossem suficientes para secá-los, bem como às meias e ao casaco, e no fim, quando voltei a calçar-me, estava já a criar-se um ecossistema marinho na bota esquerda.

domingo, 22 de outubro de 2006

Sofia não muda...

Nunca fui grande fã da Sofia Copolla. Não gostei do Lost in Translation, achei-o chato e parado, sem argumento digno de registo. Este Marie Antoinette também não é um grande avanço em termos de estilo. Basicamente, o filme não é mais do que apresentar factos históricos (alguns...) numa perspectiva de arte pop.

Mas gostei. Admito!:)
E fiquei cheia de pena da Maria Antonieta.

Claro que as partes enfadonhas teimam em não sair dos filmes da Sofiazita...

sábado, 21 de outubro de 2006

Nós achamos que não é coincidência.

Aqui está a prova de como as aulas de sábado de manhã são um elemento preparatório para o controlo da população, ou seja, a médio prazo podem levar ao suicídio.

Aula de TI, às 9h = sobre XML e Java
Aula de Sociologia, às 11h00 = sobre a Bullet Theory.

Dei a conhecer a minha teoria a alguns colegas.
Todos ficaram com ar preocupado.
Resta saber se foi com as ditas coincidências, ou se comigo.

sexta-feira, 20 de outubro de 2006

Alguém se lembra disto?


Depois de um sábado à noite passado ao som dos bons anos 80, fiquei desiludidíssima, porque ESTA pérola não passou...

Mais do que a música, aqui fica o vídeo (péssima qualidade, mas vai passando a letra da canção!), exemplo espectacular do melhor que se fazia na época!

(Note-se, nasci no início dos anos 80. Sou da geração "Ace of Base". Consequentemente, sou uma pessoa revoltada com a vida...)

Fiquem com o "Nowhere Fast", do mítico Streets of Fire :)

quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Que profundo!

A razão espanta o medo. E o medo leva-nos a perder completamente a razão.


Conversas Esquizofrénicas: Novas Fronteiras do Universo Existencial

Jovem com dúvidas existenciais: - Tenho três perguntas a fazer-te.

Jovem com paciência para esclarecer dúvidas existenciais: - Diz.

Jovem com dúvidas existenciais: - a) achas que fiz mal em ter agido daquela forma? b) achas que fiz mal em ter pensado e pensar daquela maneira? c) achas que sou uma pessoa normal?

Jovem com paciência para esclarecer dúvidas existenciais: - a) não. b) não. c) não.

Jovem com dúvidas existenciais: Ok, obrigada.

Jovem com paciência para esclarecer dúvidas existenciais: De nada.

A frase do dia é...

Não há coisa mais patética do que fazer muito bem algo que não serve para nada.

Peter Drake

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Desculpem o egocentrismo...

... mas os felinos são os animais mais perfeitos do mundo!

Ming e Mei, em 2003

Ming e Mei, em 2005

Ming e Mei são duas panteras (ou Clouded Leopards), nasceram em 2003, e foram criados com uma normal (ok, na medida do possivel...) família americana, até às 10/12 semanas de idade. Depois foram "adoptados" pelo zoo de Nashville.

São lindos.
Não há como negar.

© Sete Vidas - Template by Blogger Sablonlari - Header image by Deviantart